Robótica no Câncer Ginecológico

A cirurgia minimamente invasiva em ginecologia sofreu enorme evolução nos últimos anos, com o advento da Laparoscopia e Histeroscopia. A Laparoscopia tradicional substituiu com absoluto sucesso uma variada gama de procedimentos que antes eram somente abordados em cirurgias abertas, e com enormes vantagens, particularmente no que se refere ao tempo de hospitalização, incisões virtualmente invisíveis, mínima perda sanguínea e rápido retorno às atividades habituais. Ainda assim, a maioria das cirurgias ginecológicas ainda é realizada através de acessos abertos, seja pela falta de equipamentos adequados em parte dos hospitais, ou pela ausência de cirurgiões treinados para realizar estes procedimentos. A laparoscopia tradicional é pouco utilizada em cirurgias oncológicas, por apresentar dificuldades inerentes aos equipamentos em relação à complexidade destes procedimentos. As principais limitações observadas são:- elevada curva de aprendizado, com movimentos manuais não intuitivos, longos instrumentos trabalhando em um ponto fixo de entrada o que pode causar movimentos bruscos, com pequeno alcance, diminuindo a precisão. A Robótica foi o mais importante avanço na área da cirurgia minimamente invasiva, por proporcionar acesso a procedimentos de alta complexidade, como no câncer ginecológico, sem nenhuma perda nos princípios oncológicos, e neste sentido, em geral superior quando comparada às outras técnicas por proporcionar:
  • Visão 3D.
  • Instrumentos com movimentos refinados em360.
  • Melhor acesso a pequenas áreas virtualmente inatingíveis na cirurgia aberta e mesmo na laparoscópica.
  • Extrema precisão nos movimentos.
  • Mínima perda sanguínea.
  • Rápida hospitalização e rápido retorno às atividades cotidianas.
A cirurgia robótica começou a ser idealizada em 1991, tendo sido aprovada para uso em 1999 pelo FDA. O material sofreu várias modificações e melhorias durante alguns anos, tendo sido realmente popularizado a partir de 2007 nos EUA, quando a padronização atingiu o ponto ideal. Este equipamento acabou por evoluir ao atual Robô Da Vinci Surgical System, que chegou ao nosso País em 2008, na cidade de São Paulo, onde existem somente 3 hospitais que dispõe deste equipamento, e com cirurgiões habilitados para sua utilização. As principais vantagens da robótica na cirurgia do câncer são:
  • Manutenção dos princípios cirúrgicos oncológicos.
  • Ressecção de tumores com maior precisão, apesar do caráter minimamente invasivo.
  • Menor taxa de conversão para cirurgia aberta quando comparada a Laparoscopia.
  • Superior exposição com grandes aumentos.
  • Alta definição em visão 3D
  • Caráter intuitivo, com movimentos do cirurgião iguais aos de um procedimento aberto.
  • Facilidade na execução de movimentos ambidestros.
  • Ótimos resultados clínicos no controle do câncer.
  • Pequena perda sanguínea.
  • Rápida hospitalização
  • Rápida recuperação.